Federação Portuguesa de Atletismo

Conselho de Arbitragem

Largo da Lagoa 15B  -  2795-116 Linda-a-Velha

telf.  214 146 020    -    fax. 214 146 021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Regulamento da IAAF

Alterações ao Regulamento da IAAF

Resoluções do 43º
Congresso da IAAF /Ago. 2001/Edmonton

 

 

 

 

 

 

 

 


 

1

 

CONSTITUIÇÃO DA IAAF

 

Designação da IAAF

A designação oficial passa a ser:

IAAF - International Association of athletics Federations,

a que corresponde em português:

"Associação Internacional de Federações de Atletismo".

 

110

 

OFICIAIS INTERNACIONAIS

 

Eliminar parte do texto

A selecção de pessoas indicadas em (vi) será realizada pelo Conselho da IAAF de entre os Membros do Painel da IAAF de Juizes Internacionais de Marcha, com base nas disposições do Sistema de Formação e certificação de Juizes de Marcha da IAAF.

 

 

Adicionar Nota

Nota: Os Oficiais Internacionais deverão usar um equipamento distinto.

 

114

 

DELEGADO DE CONTROLO DE DOPING

 

Eliminar parte do texto

O Delegado de Doping contactará com o Comité Organizador para se assegurar que serão providenciadas instalações adequadas para a realização do Controlo de Doping. Em conjunto com o Delegado Médico, Ele será responsável por tudo o que se relacione com o Controlo de Doping.

 

115

 

OFICIAIS TÉCNICOS INTERNACIONAIS

 

Alteração do texto

 

 

 

 

 

Adicionar Nota

Os Delegados Técnicos nomearão um Chefe dos ITOs entre os ITOs nomeados, caso não tenha sido previamente nomeado um ITO para esta função.

 

O Oficial Técnico Internacional providenciará todo o auxílio necessário ao Juiz Árbitro da prova.

 

Nota 2:  Na ausência do Juiz Árbitro, o ITO trabalhará com o relevante Juiz Chefe.

 

 

Adicionar texto ao 4º paragr.

Se surgir (...) sobre o que deve ser feito. Caso o conselho não seja tido em conta e se se verificar uma clara infracção das Regras Técnicas da IAAF, das Regras da Competição ou das decisões tomadas pelos Delegados Técnicos, o ITO decidirá sobre a matéria.

 

116

 

JUIZES INTERNACIONAIS DE MARCHA

 

Adicionar Nota

Nota: Os Juizes Internacionais de Marcha nomeados para as competições referidas na Regra 12.1 b) a d) deverão ser Membros ou do Painel de Juizes Internacionais de Marcha ou de um dos Painéis de Juizes de Marcha de Área.

 

 

118

 

JÚRI DE APELO

 

Adicionar ao 3º paragr.

Poderá contudo reconsiderar decisões caso sejam apresentadas novas provas conclusivas, e caso a nova decisão seja ainda aplicável.

 

119

 

OFICIAIS DE COMPETIÇÃO

 

Eliminar texto

 

Alterar texto

Um (ou mais) Delegados Técnicos

Júri de Apelo

 

Um Juiz Chefe e um número adequado de Juizes para provas de Pista.

Um Juiz Chefe e um número adequado de Juizes para cada concurso.

Um Juiz Chefe e um número adequado de Fiscais de Provas de Pista e Marcha.

Um Juiz Chefe e um número adequado de Cronometristas.

Um Juiz Chefe e um número adequado de Contadores de Voltas.

Um Juiz Chefe para a Cronometragem Electrónica e um número adequado de Juizes Assistentes para a Cronometragem Electrónica.

Um Juiz de Partida e um número adequado de Auxiliares do Juiz de Partida.

 

121

 

DIRECTOR DE REUNIÃO

 

Adicionar Nota

Nota: para competições com duração prevista de mais de 4 horas ou de mais de um dia, é recomendável que o Director de Reunião tenha um ou mais Adjuntos.

 

124

 

ÁRBITROS

 

Alterar texto do 2º paragr.

O Árbitro para provas de pista e para provas fora do estádio, não terá jurisdição(...)

 

Alterar texto do 4º paragr.

O Árbitro para provas de pista e para provas fora do estádio tem poderes para decidir (...)

125

 

JUIZES

 

Alterar texto

1.       O Juiz-chefe de provas de pista e o Juiz-chefe de cada concurso coordenarão o trabalho dos Juizes na sua prova respectiva. Deverão distribuir os Juizes pelas respectivas funções, caso tal não tenha sido previamente realizado pelo órgão competente.

 

126

 

FISCAIS DE PROVAS DE PISTA E MARCHA

 

Alterar título

FISCAIS DE PROVAS DE PISTA E MARCHA

 

 

128

 

JUIZ DE PARTIDA E SEUS AUXILIARES

 

Eliminar texto

 

O Juiz de Partida terá inteiro controlo sobre os atletas quando nos seus lugares. e será o único Juiz de qualquer facto relacionado com a partida da prova. No entanto, Quando for utilizado (...).

 

 

Eliminar texto na Nota de 2.

Nas corridas até e incluindo os 110m barreiras, o Juiz de Partida colocar-se-à à frente ou na extensão da linha de partida.

 

130

 

CONTADORES DE VOLTAS

 

Adicionar

texto

Em vez de uma contagem de voltas manual, poderá ser utilizado um sistema computorizado, que envolva um chip transportado por cada atleta.

 

132

 

CHEFE DE TERRENO

 

Eliminar texto

Tomará as disposições necessárias para que haja um recinto especial à disposição dos Juizes quando não estiverem em actividade.

134

 

AGRIMENSOR OFICIAL

 

Adicionar texto

...

Terá acesso completo aos planos do estádio, aos desenhos e ao último relatório de medição, para efeitos da sua verificação.

 

 

Transferir  para Regra 140 – 3º paragr.

Os responsáveis de todos os estádios a ser utilizados nas competições referidas na Regra 12.1 a) a h) serão solicitados a providenciar documentação que ateste a exactidão das medições da pista, das suas marcações  e das instalações técnicas, no formato aprovado pelo Conselho da IAAF. 

 

140

 

A INSTALAÇÃO DE ATLETISMO

 

Acrescentar e emendar

 texto

...

As provas de atletismo realizadas segundo a Regra 12.1 a), b), c) e d), assim como as que se realizem sob o controlo directo da IAAF, só poderão ter lugar em instalações com pistas de superfície sintética em conformidade com as Especificações de performance para as Superfícies Sintéticas da IAAF, e que possuam um Certificado de Aprovação de Classe 1 da IAAF.

Recomenda-se que, caso essas instalações estejam disponíveis, as competições  previstas na Regra 12.1 e), f), g) e h) sejam igualmente realizadas nessas instalações.

 

Acrescentar 3º parag.

(Texto transferido  da R.134)

 

Em qualquer dos casos, deverá ser requerida para todas as instalações destinadas a competições segundo a Regra 12.1 a) a h), documentação detalhada que comprove a exactidão das medições da pista e dos sectores de concursos, no formato requerido de acordo com o Sistema de Certificação da IAAF.

 

 

 

Acrescentar nota 2 e 3

Nota 1: (...)

Nota 2: Encontra-se disponível na IAAF e na página internet da IAAF um formulário standard do certificado de medição das instalações.

 

Nota 3: Esta regra não é aplicável a corridas e provas de marcha realizadas em percursos de estrada ou corta-mato.

 

142

 

INSCRIÇÕES

 

Alterar texto do ponto 3.

3.Quando um atleta estiver inscrito (...) antes do início da competição. Contudo, se um atleta posteriormente não estiver presente para realizar esse ensaio, deverá ser considerado que  ele prescindiu do ensaio logo que se esgote o período de tempo que tinha para o efectuar.

 

 

Adicionar texto

4. Em todas as competições previstas na Regra 12.1 a), b) e c),    excepto nas condições abaixo indicadas, (...) mas não tenha competido posteriormente.

 

Um certificado médico, realizado por um médico oficial nomeado ou aprovado pela IAAF e/ou pelo Comité Organizador, poderá ser aceite como razão suficiente  para admitir que o atleta se tornou impossibilitado de competir após ter terminado o período de confirmações ou após ter competido numa fase prévia de qualificação ou eliminatórias, podendo no entanto competir noutras provas a realizar num dia de competição subsequente.

 

 

Adicionar à Nota 2

 

O Juiz Árbitro respectivo decidirá nesta matéria devendo ser feita a referência correspondente nos resultados oficiais. A situação prevista nesta Nota não será aplicável às provas individuais que integram as provas combinadas.

 

143

 

EQUIPAMENTO, SAPATOS E DORSAIS

 

Eliminar 2º paragr. do ponto 2

Em todas as competições previstas na Regra 12.1 a) e b) que se realizem em  mais de um dia, o oficial competente da equipa tem de informar o Comité Organizador, num formulário especial, sobre a marca dos sapatos que os atletas vão utilizar. Nenhum atleta será autorizado a mudar de marca dos sapatos durante a competição. Os atletas que participem em provas combinadas têm de declarar que sapatos vão utilizar em cada prova individual.

 

 

Alterar texto

no ponto 5

No salto em altura e no salto em comprimento, a sola terá uma espessura máxima de 13 mm e o tacão no salto em altura terá  uma espessura máxima de 19mm. Em todas as  outras (...).

 

144

 

ASSISTÊNCIA A ATLETAS

 

Eliminar texto

Nas competições internacionais, a utilização pelos atletas de leitores de cassetes (...) para o seu exterior, serão considerados como violando esta Regra.

 

 

Substituir por

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As seguintes situações não serão consideradas como Assistência:

(i)       comunicação entre atletas e os seus treinadores que não se encontrem na área da competição. Por forma a facilitar esta comunicação e a não perturbar o desenrolar da competição, propõe-se a reserva, para os treinadores dos atletas, de uma zona nas bancadas, próxima do sector de cada concurso.

(ii)     Um exame médico realizado durante o desenrolar de uma prova por pessoal médico designado pelo Comité  Organizador.

Para os fins desta Regra, as seguintes situações serão consideradas como Assistência, logo não permitidas:

(i)       imprimir de ritmo em corridas, por pessoas que não estejam a participar nas mesmas, por corredores ou marchadores ultrapassados ou em vias de ser ultrapassados ou por intermédio de qualquer tipo de instrumento técnico.

(ii)     A utilização de leitores de cassetes ou de vídeo, rádios, CDs, intercomunicadores, telefones móveis ou dispositivos similares na área de competição.

 

Qualquer atleta que dê ou receba assistência do interior da área de competição durante uma prova deverá de ser advertido pelo Árbitro e avisado de que se tal situação se repetir, será desqualificado dessa prova.

 

Será permitido tratamento fisioterapêutico e/ou médico necessários para permitir ao atleta participar ou continuar a sua participação já na área de competição, desde que realizado por pessoal designado ou aprovado especificamente para o efeito pelo Delegado Médico e/ou pelo Delegado Técnico, e desde que não atrase a condução da competição ou o ensaio de um atleta na ordem estipulada. Caso tal intervenção ou assistência seja prestada por qualquer outra pessoa tanto durante a competição como imediatamente antes, a partir do momento em que os atletas deixam a Câmara de Chamada, será considerada assistência. 

 

Adicionar texto ponto 3

Uma manga de vento deve ser colocada junto à área de chamada em todas as provas de saltos e nos lançamentos do disco e do dardo, de modo a mostrar aos atletas a direcção e a intensidade aproximadas do vento.

145

 

DESQUALIFICAÇÃO

 

Alterar/

adicionar texto

 

 

 

 

Se um concorrente for desqualificado numa prova devido à infracção das Regras Técnicas da IAAF, deve ser indicado nos resultados oficiais que Regra da IAAF foi por ele infringida. Contudo, este facto não deverá impedir o concorrente de participar noutras provas.

 

Um atleta que tenha um comportamento anti-desportivo ou impróprio durante uma competição, poderá ser desqualificado da mesma, não podendo participar noutras provas dessa competição. Uma referência a tal desqualificação deverá ser efectuada nos resultados oficiais, invocando as razões dessa desqualificação. Se a falta for considerada grave, o Director da Competição relatá-la-á à entidade competente, para possível procedimento disciplinar de acordo com a Regra 53.1 (viii).

 

146

 

PROTESTOS

 

Alterar

ponto 1

Os protestos referentes ao direito de um atleta participar numa competição, têm de ser apresentados, antes do início da mesma, ao Júri de Apelo, ou ao Árbitro no caso de não haver sido designado Júri de Apelo ao(s) Delegado(s) Técnico(s). Existirá o direito de recurso ao Júri de Apelo da decisão do(s) Delegado(s) Técnico(s).

 

 

Alterar

ponto 4

No decorrer de um concurso, caso um atleta realize um protesto oral, imediatamente após um seu ensaio ter sido considerado como nulo, o Juiz Chefe Árbitro da prova pode, à sua descrição, (...)

 

 

Alterar

ponto 6

(...) Se esses dados, incluindo qualquer prova disponível em vídeo, não forem conclusivos, a decisão do Árbitro manter-se-á.

 

160

 

AS MEDIDAS DE UMA PISTA

 

Adicionar antes da Regra 160

(As Regras 162.2, 162.3 (2º parágrafo), 163.2, 164.3 e 165 também se aplicam às Secções VII, VIII e IX.)

 

Adicionar nota

Nota: Os cones deverão ser colocados na pista de forma a cobrir a linha que marca o interior do pista individual, com o limite da base do cone tocando o interior da pista individual.

 

162

 

A PARTIDA

 

Alterar texto ao ponto 3

Em todas as reuniões internacionais, as ordens do Juiz de Partida, deverão ser emitidas na sua língua natal, em Inglês ou Francês. (...)

Na posição de “Aos seus lugares” um atleta não poderá tocar nem na linha de partida nem no terreno situado à frente dela com as suas mãos ou os seus pés durante a partida.

 

Alterar texto ao ponto 7

Qualquer atleta que faça uma falsa partida terá que ser advertido. Apenas será permitida uma falsa partida por corrida sem que tal implique a desqualificação do(s) atleta(s) responsáveis por essa falsa partida. Qualquer/quaisquer atleta(s) que posteriormente faça(m) falsa partida será/serão desqualificado(s) da corrida. (Aplicável a partir de 01.01.2003)

 

Nas provas combinadas, se um atleta for responsável por duas falsas partidas será desqualificado.

 

 

Adicionar à Nota 2 do ponto 9.

 

Nota 3: Nas competições previstas na Regra 12.1 a), b) e c) esta Regra normalmente só deverá ser aplicada na primeira ronda eliminatória, a menos que devido a empate ou por decisão do Árbitro, haja mais atletas do que o previsto numa corrida de uma ronda subsequente.

 

163

 

A CORRIDA

 

Adicionar ponto 11

 

 

O anemómetro mecânico deve ter uma protecção apropriada para reduzir o impacto de qualquer vento cruzado. Quando forem utilizados tubos, o seu comprimento em ambos os lados do instrumento de medição deverão ter no mínimo o dobro do diâmetro do tubo.

 

O anemómetro poderá ser accionado e parado de forma automática e/ou remotamente, e a informação directamente transmitida para o computador da competição.

 

166

 

SERIAÇÃO, SORTEIO E QUALIFICAÇÕES EM PROVAS DE PISTA

 

Alterar texto

As eliminatórias, quartos de final e meias-finais serão organizadas pelo Comité Organizador em conjunto com os pelos Delegados Técnicos designados, nos casos apropriados. Caso não tenham sido designados Delegados Técnicos as mesmas serão organizadas pelo Comité Organizador.

 

 

Mover 400 m Bar para o 1º conjunto de provas

100m, 200m, 400m, 100m bar., 110m bar., 400m bar.

(...)

400m bar, 800m, 4x100m, 4x400m

 

 Ponto 3

Adicionar texto antes da Nota

(...)

Sempre que possível os representantes de cada nação serão colocados em eliminatórias diferentes.

O mesmo sistema deverá ser adoptado para a primeira eliminatória das corridas, sendo a seriação determinada a partir da lista relevante de marcas válidas alcançadas durante o período de tempo pré-determinado.

 

169

 

CORRIDAS DE OBSTÁCULOS

 

Adicionar texto ao Ponto 5 como 2º parágrafo

5. Os obstáculos  terão (...) e com 12,7cm de cada lado.

O obstáculo junto à vala de água deverá ter 3.66 m (± 2cm) de largura, e deverá estar firmemente fixo ao chão, de forma a que não seja possível qualquer movimento horizontal.

 

Alterar texto

no Ponto 6

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Novo desenho

A vala de água, incluindo o obstáculo, terá um comprimento de 3.66 m (± 2 cm) nas provas para homens e 3.06 (+ 2 cm) nas provas para senhoras, e uma largura de 3.66 m  (+ 2 cm), para as provas de ambos os sexos. e a vala de água deverá ter uma largura de 3.66m (± 2 cm).

A água terá que estar nivelada (...) não devendo a espessura ser superior a  aproximadamente 2,5 cm.

 

NOTA: Nas pistas (...) satisfatória.

 

O fundo da vala deverá ser de superfície sintética, ou estar coberto com um tapete, de espessura suficiente por forma a assegurar um contacto seguro do atleta com o fundo da vala e a permitir aos bicos uma aderência satisfatória.

No início da corrida, a superfície da água deverá estar nivelada com a superfície da pista com uma tolerância de 2 cm. A água no ponto mais próximo do obstáculo deverá ter 70 cm de  profundidade aproximadamente num espaço de 30 cm. Desde este ponto, e até ao fim da vala, tem de haver uma subida regular do fundo da vala até ao nível da pista.

 

 

VALA COM ÁGUA PARA COMPETIÇÕES MASCULINAS

170

 

CORRIDAS DE ESTAFETAS

 

Alterar e mover Nota 2 do Ponto 8 para Ponto 6

Nota 2: Nas estafetas de 4 x 200 m e 4 x 400 m, quando não compitam mais de 3 4 equipas, recomenda-se que apenas a primeira curva da 1ª volta seja corrida em pistas individuais.

 

Adicionar ao  ponto 9

Assim que estes atletas passem o ponto referido , os atletas que por eles esperam terão de se manter nesta ordem e não trocarão de posição no início da zona de transmissão. Caso algum atleta não cumpra esta Regra, causará a desqualificação da sua equipa.

 

Adicionar e alterar o ponto 14

14. Em todas as corridas de estafetas, o testemunho terá de ser passado dentro da zona de transmissão. A transmissão do testemunho inicia-se quando for tocado pela primeira vez pelo atleta que o recebe e completa-se no momento em que o atleta que o recebe o detém sozinho na sua mão. Não será permitida aos atletas a utilização de luvas ou a colocação de substâncias nas mãos por forma a obter uma maior aderência ao testemunho.

 A transmissão do testemunho fora da zona de transmissão será motivo para desqualificação.

 

 

Alterar ponto 15

Os atletas antes de receberem e/ou depois de entregarem o testemunho, deverão manter-se nas suas pistas individuais ou zonas, neste último caso até que a pista esteja livre, de modo a evitar a obstrução a outros atletas. A Regra 163.3 e 4 não se aplicará a estes atletas.

Se um atleta prejudicar deliberadamente um componente de outra equipa por sair da sua pista individual ou posição no fim do seu percurso, sujeita-se a causar a desqualificação da sua equipa  a sua equipa será desqualificada.

 

 

Adicionar texto ao ponto 18

A composição da equipa e a ordem de participação dos atletas na estafeta terá que ser oficialmente comunicada antes do início de cada eliminatória da competição pelo menos uma hora antes do horário definido para a primeira chamada da primeira corrida de cada ronda eliminatória da competição. Quaisquer alterações posteriores só poderão ser efectuadas com base em razões médicas (verificadas por um médico oficial designado pelo Comité Organizador) apenas até ao horário limite de chamada para a corridaespecífica em que a equipa irá competir.

 

180

 

CONCURSOS – NORMAS GERAIS

 

Alterar e adicionar texto ao ponto 7

Nas competições acordadas entre Membros Nas competições previstas na Regra 12.1 d) a h), o número de ensaios nos concursos horizontais pode ser reduzido. por acordo mútuo realizado antes da competição.

Tal será decidido pelo Órgão Nacional ou Internacional que controla a competição.

 

 

Alterar texto no ponto 11

As condições para qualificação, as marcas de qualificação e o número de atletas que participarão na final serão decididos(as) pelo Comité Organizador  juntamente com os pelos Delegados Técnicos caso estes existam.

Caso não tenha(m) sido designado(s) Delegado(s) Técnico(s) as condições serão decididas pelo Comité Organizador. Nas competições indicadas na Regra 12.1 a), b) e c), terão de propõe-se que sejam apurados, no mínimo, 12 atletas para a final.

 

 

 

 

 

Alterar (a) , (b) e (c) do ponto 17

Os intervalos de tempo seguintes não deverão, em princípio, ser excedidos:

(a)     1 minuto para todos os concursos. No Salto com Vara, o intervalo de tempo começará a ser medido quando os postes tiverem sido colocados de acordo com os desejos previamente referidos pelo atleta. Não será concedido qualquer tempo adicional para ajustamentos adicionais;

(b)     Na fase final do Salto em Altura e Salto com Vara (mas não nas provas combinadas), quando apenas estiverem em prova 2 ou 3 atletas os intervalos de tempo atrás referidos serão aumentados para (2) 1.5 minutos no Salto em Altura e (3) 2 minutos no Salto com Vara. Se apenas 1 atleta estiver em prova, esses intervalos de tempo serão aumentados, para (5) 3 minutos no Salto em Altura e (6) 5 minutos no Salto com Vara;

(c)     No caso de ensaios consecutivos realizados pelo mesmo atleta quando mais do que um atleta ainda está em competição no caso do Salto com Vara e Salto em Altura, ou qualquer que seja o número de participantes noutros concursos, os tempos referidos em a) e b) serão alargados para 3 minutos no caso do Salto com Vara e para 2 minutos em todos os restantes concursos. Esta regra igualmente se aplicará nas  Provas Combinadas;

 

 

 

 

 

 

Alterar à Nota do ponto 17

Nota: Um relógio (...) visualizado pelos atletas. Adicionalmente e quando aplicável, um Juiz deverá levantar e manter levantada uma bandeira amarela, ou indicar de outra forma, durante os últimos 15 segundos do tempo permitido.

 

181

 

SALTOS VERTICAIS – NORMAS GERAIS

 

Retirar texto ao ponto 7

7. A fasquia será de fibra de vidro, metal ou outro material apropriado que não metal, e terá (...)

(...)

A fasquia consistirá (...) colocar a fasquia nos suportes dos postes. Estas extremidades poderão terão uma secção semi-circular ou quadrada, e serão rígidas e lisas. Não podem (...)

(Aplicável 1.1.2003)

 

 

Adicionar novo ponto  Ponto 9

Forças Estranhas

9. Quando for evidente que a fasquia foi derrubada por uma força não associada à acção do atleta (ex. uma brisa de vento):

(a)     se tal derrube ocorrer após o atleta ter transposto a fasquia sem nela tocar, o ensaio será considerado válido, ou

(b)     se tal derrube ocorrer sob outra circunstância, será permitido ao atleta efectuar um novo ensaio.

 

182

 

SALTOS EM ALTURA

 

Adicionar Nota a b) do ponto 2

Nota: Por forma a auxiliar a implementação desta Regra deverá ser marcada no solo uma linha de 50mm de largura (normalmente com fita adesiva ou material similar) entre pontos localizados 3 metros para o exterior de cada poste, sendo que a margem mais próxima da linha relativamente à pista de balanço deverá ser coincidente com o plano da margem dos postes igualmente situado mais próximo da pista de balanço.

 

 

Adicionar antes da Nota do ponto 10

10. A área de queda não deve medir menos de 5 x 3 m.

Para as competições previstas na Regra 12.1 recomenda-se que as dimensões do sector de queda não sejam inferiores a 6m comprimento x 4m largura x 0,7m altura.

 

183

 

SALTO COM VARA

 

Alterar à Nota do ponto 1

Nota: Uma linha branca com 1 cm de largura poderá será desenhada (...).

 

Alterar a 2 a)

a)       após o salto, se a fasquia não se mantiver nas suportes cavilhas dos suportes (...)

 

 

Alterar a 2 d)

d) durante o salto o atleta mantiver ou recolocar com a(s) mão(s) a fasquia nos cavilhas dos suportes.

 

Adicionar ao ponto 5.

Se a vara se partir no decorrer de um ensaio, este não será considerado nulo e deverá ser concedido ao atleta um novo ensaio.

 

 

Alterar ao ponto 10

Suportes para a fasquia

(...) Não podem prolongar-se mais que 75mm 55mm do plano dos postes, os quais devem, por sua vez, prolongar-se 35-40 mm acima das suportes cavilhas dos suportes.

(Aplicável 01.01.2003)

 

 

Adicionar ao ponto 12

 

12. A área de queda deverá medir pelos menos 5 x 5 m.

Para as competições previstas na Regra 12.1 recomenda-se que as dimensões do sector de queda não sejam inferiores a 7m comprimento x 6m largura x 0,8m altura.

 

 

 

 

184

 

SALTOS HORIZONTAIS

 

Alterar no ponto 2

A pista de balanço:

2. O comprimento mínimo da pista de balanço será de 40 m. e, onde as condições o permitam, será de 45 m. A pista de balanço terá uma largura mínima de 1,22 m e máxima de 1,25 m. A pista de balanço será limitada por linhas brancas com 5 cm. de largura.

 

 

185

 

SALTO EM COMPRIMENTO

 

Alterar texto

1. Um ensaio será considerado nulo se um atleta:

(...)

c)       tocar o solo entre a tábua de chamada e a área de queda; ou

d)       empregar qualquer forma de salto mortal durante a corrida de balanço ou no acto do salto;ou

e)       no momento da queda, tocar no terreno fora da área de queda num ponto situado mais próximo da linha de chamada que a marca  deixada na areia; ou

f)         ao deixar a área de queda, o seu primeiro contacto com o terreno fora da área de queda seja efectuado num ponto situado mais próximo da linha de chamada que a marca mais próxima desta linha deixada na areia.

 

 

Alterar texto no ponto 8

e ponto 4

 

Placa indicadora de plasticina (...) As  margens da placa indicadora inclinar-se-ão num ângulo de 30º 45º (...) quando preenchido com plasticina, fará um ângulo de 30º 45º (...) 

(Novos diagramas 1 e 2)

 

 

187

 

LANÇAMENTOS - CONDIÇÕES GERAIS

 

Alterar texto no ponto 4 c)

4. (...)

b)       De forma a obter uma melhor aderência, é permitido aos atletas usar uma substância apropriada, mas somente nas mãos. Adicionalmente, os lançadores de martelo poderão usar tais substâncias nas suas luvas, e os lançadores de peso poderão usar tais substâncias no seu pescoço.

 

 

Adicionar alínea f)

f) No Lançamento do Dardo, os concorrentes poderão usar uma protecção para o cotovelo.

 

 

Alterar no ponto 12. a) e nota respectiva

 

 

 

 

 

 

Alterar 14.d)

12. a) Com excepção do Lançamento do Dardo, o sector de queda terá 40º 34,92º será marcado com linhas brancas (...).

Nota: O sector de 40º 34,92º pode ser marcado com precisão, estabelecendo-se uma distância de 13,68 m 12,0 m (20 m x 0,684 0,6) entre 2 pontos situados sobre cada linha do sector, a 20 m do centro do círculo. Assim por cada metro que se avance do centro do circulo, a distância entre esses dois pontos aumentará 68,4 cm 60 cm.

(Aplicável 1.1.2003)

 

14. (...)

d) no Lançamento do Dardo, tocar com qualquer parte do corpo ou membros nas linhas que limitam a pista de balanço ou no terreno exterior.

 

188

 

LANÇAMENTO DO PESO

 

Alterar texto

ponto 3.

3. Medidas - A antepara terá de medir de 11,2 cm a 30 cm de largura, 1,22m 1,15m (± 1 cm) de comprimento no interior e 10 cm (± 2 mm) de altura em relação ao nível do interior do círculo.

 

Acrescentar no ponto 5.

 

 

189

 

LANÇAMENTO DO DISCO

 

Acrescentar no ponto 2.

 

191

 

LANÇAMENTO DO MARTELO

 

Alterar  ponto 3.

Se o martelo se partir durante um lançamento ou quando estiver no ar, o ensaio não será nulo desde que o lançamento tenha sido feito de acordo com esta Regra. Se o atleta, por aquele motivo, perder o equilíbrio e cometer falta, o ensaio não será nulo, e o atleta terá direito a um novo ensaio.

 

Alterar ponto 7. e 8.

7. Pega - A pega terá de ser sólida e rígida, feita de uma só peça e sem charneiras de qualquer espécie. Terá uma forma de um triângulo equilátero. Não deverá distender-se apreciavelmente durante o lançamento. Terá de ser ligada ao cabo de tal forma que não possa girar dentro da argola do cabo, para que o martelo não aumente de comprimento.

A zona de empunhadura da pega deverá ser recta e terá 115 mm de comprimento.

(Aplicável 1.1.2003)

8. Ligações para o cabo - O cabo terá de estar ligado (...) . A pega estará ligada ao cabo. por meio de uma argola. Um argola móvel não pode ser utilizada.

(Aplicável 1.1.2003)

 

Alterar ponto 9.

 

 

193

 

LANÇAMENTO DO DARDO

 

Alterar ponto 2.

2.       Se o dardo se partir durante um lançamento ou quando estiver no ar, o ensaio não será nulo desde que o lançamento tenha sido feito de acordo com esta Regra. Se o atleta, por aquele motivo, perder o equilíbrio e cometer falta, o ensaio não será considerado nulo, e o atleta terá direito a um novo ensaio.

 

200

 

PROVAS COMBINADAS

 

Alterar ponto 1

Homens (Decatlo e Pentatlo) e Senhoras (Heptatlo e Decatlo)

Ordem de provas do Decatlo Feminino:

1º dia: 100m, Disco, Vara, Dardo, 400m;

2º dia: 100m bar., Comprimento, Peso, Altura, 1500m.

 

Alterar ponto 6. b)

 

 

6 b) No caso de não estar disponível um sistema de cronometragem totalmente automático, os tempos obtidos por cada atleta terão de ser registados independentemente por três Cronometristas.

 

Alterar ponto 6. c)

6. c) Nas provas de pista um atleta que faça três duas falsas partidas terá de ser desqualificado da prova em causa.

 

 

Acrescentar no ponto 10

 

 

10. Em caso de empate o vencedor será o atleta que, em maior número de provas, tenha obtido mais pontos que os atletas que com ele se encontrem empatados. Se isto não resolver o empate, o vencedor será o atleta que tenha a pontuação mais elevada em qualquer uma das provas, e se ainda assim o empate subsistir, recorrer-se-á à melhor pontuação de uma segunda prova, etc. Este sistema também terá de ser aplicar em casos de empate para qualquer lugar da competição.

 

214

 

MARCAÇÃO DAS LINHAS DE PARTIDA E CHEGADA DA PISTA OVAL

 

Acrescentar novo ponto 10. e renumerar os pontos seguintes

10. Qualificações e eliminatórias

Em provas de pista coberta, as tabelas seguintes serão utilizadas, caso não existam circunstâncias excepcionais, para determinar o número de voltas e o número de eliminatórias de cada volta que serão realizadas, assim como o sistema de qualificação para cada volta nas provas de pista:

 

 

 

60m, 60m Barreiras

 

200m, 400m, 800m, 4x200m, 4x400m

 

1500 m

 

3000 m

Nota: Os procedimentos de qualificação acima apresentados são apenas válidos para 6 pistas individuais na pista oval e 8 pistas individuais na pista recta.

 

230

 

MARCHA ATLÉTICA

 

Emendar ponto 2

2. Ajuizamento:

a)       Os Juizes de Marcha nomeados terão de eleger um Juiz-chefe, caso este não tenha sido nomeado previamente. Nas competições segundo a Regra 12.1 a), b) c) e d), o Juiz-chefe tem o poder de desqualificar um atleta, apenas desde o circuito ao estádio e dentro do estádio, nos casos em que a prova termine no estádio ou nos 100m finais quando a prova se realize totalmente no estádio ou totalmente num circuito em estrada, quando pelo seu modo de progressão, não cumpra, de forma óbvia, o previsto no parágrafo 1 acima, independentemente desse atleta ter recebido previamente notas de desqualificação.

b)       O Juiz-chefe actuará como oficial supervisor da competição, e apenas actuará como Juiz na situação especial definida na alínea a) acima, em competições segundo a Regra 12.1 a) b) c) e d),  Nas competições segundo a Regra 12.1 a), b) e c), um máximo de dois Juizes-Chefe Assistentes poderão ser nomeados pelo Comité organizador Local após consulta a efectuar junto do Juiz-chefe e dos Delegados Técnicos. Os Juizes-Chefe Assistente(s) apenas procederão à notificação de desqualificações e não actuarão como Juizes de Marcha.

c)       Os Juizes de Marcha terão de actuar de forma independente e o seu julgamento basear-se-á em observações visuais (a olho nu).

d)       Nas competições segundo a Regra 12.1 a), todos os Juizes terão de ser Juizes Internacionais de Marcha, do Painel da IAAF. Nas competições segundo a Regra 12.1 b) e c), todos os Juizes terão de ser Juizes de marcha de Área, do Painel da Associação de Área relevante, ou Juizes Internacionais de Marcha, do Painel da IAAF.

e)       Em provas de estrada, por norma haverá um mínimo de seis e um máximo de nove Juizes de Marcha, incluindo o Juiz-chefe.

f)         Em provas de pista por norma haverá seis Juizes de Marcha, incluindo o Juiz-chefe.

g)       Nas competições segundo a Regra 12.1 a) só poderá actuar um Juiz de Marcha por cada país. Para todas as competições organizadas segundo a Regra 12.1 a), b) e c), um Juiz encarregado do quadro de notas de desqualificação e um Juiz-chefe Anotador terão de ser nomeados pelo Comité Organizador, após consulta a efectuar junto do Juiz-chefe e dos Delegados Técnicos.

 

 

Emendar ponto 4 b)

4. b) Quando um concorrente receber uma nota de desqualificação por parte de três Juizes de Marcha diferentes, o concorrente é desqualificado e terá de ser notificado dessa desqualificação pelo Juiz-chefe de Marcha ou pelo Assistente do Juiz-chefe de Marcha.

 

 

Emendar ponto 4 c)

4. c) Nas competições segundo a Regra 12.1 a) apenas pode ser convidado para actuar um Juiz de Marcha por cada País. Em todas as competições directamente controladas pela IAAF ou por esta autorizadas, em caso algum poderão dois Juizes de Marcha da mesma nacionalidade ter o poder de desclassificação.

 

 

Emendar ponto 4 d)

 

 

 

 

 

4 d) Se, durante a prova, for impraticável notificar um concorrente da sua desqualificação, a desqualificação terá de ser formalizada o mais cedo que seja possível após o concorrente ter terminado a sua prova. Uma falha na rápida notificação não resultará na requalificação de um concorrente desqualificado.

 

Emendar ponto 4 e)

 

 

 

 

 

 

4. e) Um sinal amarelo, tendo de cada lado o símbolo da falta cometida, terá de ser mostrado ao atleta quando for atribuída uma advertência. Um sinal vermelho representa a desqualificação do atleta. Este último sinal será utilizado pelo Juiz-chefe de Marcha para informar os concorrentes da sua desqualificação. Os concorrentes poderão ainda ser informados da sua desqualificação pelo Assistente do Juiz-chefe de Marcha.

 

Acrescentar ponto 4 f)

 

 

 

Em provas de pista, (...) após ser desqualificado. Qualquer concorrente que tenha sido desqualificado e que se recuse a abandonar o circuito ou pista poderá ser sujeito à consequente acção disciplinar de acordo com a Regra 53.1 (viii) da IAAF.

 

Emendar ponto 4 g)

 

 

Um Quadro de Desqualificações será colocado no circuito e perto da chegada, a fim de manter os concorrentes informados a respeito do número de notas de desqualificação que foram atribuídas a cada concorrente.

 

 

 

Acrescentar no ponto 4 h)

Para todas as competições segundo a Regra 12.1 a), dispositivos computadorizados de bolso com capacidade de transmissão, serão utilizados pelos Juizes de Marcha ao comunicarem todas as notas de desqualificação ao Anotador e ao(s) Quadro(s) de Desqualificação.

 

 

Acrescentar novo ponto 5 e renumerar pontos seguintes

5. A partida - As provas de Marcha serão iniciadas com um disparo de uma pistola. As vozes de comando serão as normais para as corridas longas.

Nas provas em que o número de atletas for muito elevado, recomenda-se que seja dado um "aviso" 5 minutos antes da partida, podendo haver avisos adicionais se necessário.

Em competições por equipas, terão de ser providenciadas estações de partida e os membros de cada equipa serão alinhados uns atrás dos outros no início da corrida.

 

 

Emendar antigo ponto 5 (agora ponto 6)

6. Segurança e exames médicos

a)       O Comité Organizador de provas de marcha disputadas em estrada terá de garantir condições de segurança para os atletas. Nas competições segundo a regra 12.1 a), b) e c), o Comité Organizador deverá, sempre que possível, providenciará que as estradas em que se disputam as competições estejam fechadas nos dois sentidos, isto é, não estejam abertas à circulação de veículos motorizados. ao tráfico motorizado em todas as direcções.

b)       Nas competições realizadas segundo a Regra 12.1 a), b) e c), as provas deverão ser programadas para começar e terminar durante o dia.

c)       Um exame médico realizado durante o desenrolar de uma prova, por pessoal médico designado e claramente identificado pelo Comité Organizador, não será considerado como assistência.

d)       Um Atleta terá de se retirar imediatamente da prova, caso seja intimado a fazê-lo por um membro do Corpo Clínico nomeado pelo Comité Organizador. Os elementos deste Corpo Clínico serão facilmente identificáveis através de um braçadeira, ou vestuário apropriado.

 

 

Emendar antigo ponto 6 (agora ponto 7)

7. Locais de refrescamento e de abastecimento:

a)       Água e outros abastecimentos (...) de todas as provas.

b)       Em todas as provas de distância (...) climatéricas o justifiquem.

c)       Em todas as provas de distância igual ou superior a 10 Km, serão providenciados locais de abastecimento a 5 km da partida e posteriormente de 5Km em 5 Km ou em cada volta. Em complemento, locais de refrescamento com água apenas, serão colocados a aproximadamente meio caminho (...) climatéricas o justifiquem.

d)       Os abastecimentos, que podem ser providenciados pelo Comité Organizador ou pelos próprios atletas, serão disponibilizados nos locais designados pelos atletas. Terão de ser colocados nos referidos locais, de forma que sejam facilmente acessíveis ou entregues em mão aos atletas por pessoas autorizadas.

e)       Um atleta que seja (...) passível de desqualificação.

f)         Em provas internacionais competições realizadas segundo a Regra 12.1 a), b) e c), um máximo de dois Oficiais (...) na altura do abastecimento.

Os abastecimentos providenciados pelos atletas (...) que sejam entregues pelos atletas ou seus representantes.

 

Emendar antigo ponto 7 (agora ponto 8)

Provas de marcha em estrada:

a)       No caso das competições realizadas segundo a Regra 12.1.a), b) e c), o circuito para os 20 Km deverá ter, se possível, um perímetro máximo de 2,5 Km. O circuito para os 50 Km marcha deverá ter, se possível 2,5 km de perímetro, num máximo de 5 Km caso se desenrole num percurso de ida e volta. O circuito para os 10 Km marcha deverá ter, se possível, um perímetro máximo de 1,5 Km. não será mais longo que 2,5 Km nem mais curto que 2 Km. Para provas em que a partida e a chegada se realizem no estádio, o circuito deverá estar situado o mais próximo que seja possível do estádio.

b)       As provas de estrada terão de ser medidas de acordo com a Regra 240.3.

 

Emendar antigo ponto 8. (agora ponto 9)

9. Conduta durante a prova:

Nas provas de marcha em estrada e em pista de distância igual ou superior a 20 Km, um atleta pode deixar a estrada ou pista, com a autorização e sob o controlo de um Juiz, desde que não encurte a distância a percorrer.

 

240

 

CORRIDAS DE ESTRADA

 

Acrescentar frase no ponto 3.

A partida e a chegada de uma corrida terá de ser indicada por uma linha branca de pelo menos 5 cm de largura. O percurso de uma corrida de estrada terá de (...) com outras marcações.

 

Acrescentar novo ponto 6 e renumerar pontos seguintes

6. A Partida

As provas serão iniciadas com um disparo de uma pistola. As vozes de comando serão as normais para as corridas longas.

Nas provas em que o número de atletas for muito elevado, recomenda-se que seja dado um "aviso" 5 minutos antes da partida, podendo haver avisos adicionais se necessário.

Em competições por equipas, terão de ser providenciadas estações de partida e os membros de cada equipa serão alinhados uns atrás dos outros no início da corrida.

 

 

Eliminar pto 9/ renumerar ptos seguintes

9. Em todas as provas onde o número de atletas seja tão elevado (...) serão colocados atrás, pela mesma ordem.

 

 

250

 

CORRIDAS DE CORTA-MATO

 

Emendar ponto 1

Generalidades:

Não obstante sabendo que, devido às extremas variações nas condições em que o corta-mato é praticado em todo o mundo e às dificuldades no estabelecimento de legislação internacional que normalize este desporto, deverá ser considerado que as diferenças entre provas bem e mal sucedidas estão normalmente associadas às características naturais dos locais de realização de tais provas e às capacidades de quem define os percursos.

As Regras seguintes, no entanto, foram estabelecidas como um guia e incentivo para auxiliar os países a desenvolver o corta-mato. quer como desporto propriamente dito quer como treino adicional para as corridas de pista e concursos.

Informações adicionais sobre a organização de provas de corta-mato podem ainda ser encontradas no Manual da IAAF de corridas de longa distância.

 

 

Acrescentar novo ponto 3 e renumerar pontos seguintes

3. Localização de provas de corta-mato:

a)       O percurso deverá  ser construído num campo aberto ou terreno em matagais, coberto quanto possível por relva, com obstáculos naturais que poderão ser utilizados por quem o desenhar para criar um percurso de corta-mato competitivo.

b)       A zona onde se situa o percurso deverá ser suficientemente larga para acomodar não somente o percurso propriamente dito mas também todas as instalações e áreas de apoio necessárias.

 

 

Emendar antigo ponto 3 (novo ponto 4)

4. Definição do percurso – Para Campeonatos, provas internacionais e, se possível, para outras competições:

a)       o circuito deverá ser criado de modo a ter um perímetro entre 1.750 m e 2.000 m. Se necessário, poderá ser acrescentada uma volta mais pequena, por forma a ajustar o circuito às distâncias totais a percorrer nas várias provas, devendo nesse caso a volta pequena ser utilizada na parte inicial das provas. Recomenda-se que cada volta grande tenha uma variação de altitude de pelo menos 10 metros.

b)       Se possível, serão utilizados os obstáculos naturais existentes. No entanto, deverão ser evitados obstáculos muito altos, como por exemplo valas profundas, subidas/descidas perigosas, matagais cerrados e, em geral, qualquer obstáculo que possa constituir uma dificuldade que vá para além da finalidade da prova. É preferível que não sejam utilizados obstáculos artificiais, mas se eles forem inevitáveis para o fim em vista, deverão ser feitos de modo a simular os encontrados em campo aberto. Quando o número de atletas for muito elevado, as passagens estreitas ou outros obstáculos que dificultem a corridas terão de ser evitados nos primeiros 1.500 metros.

c)       A travessia de estradas ou de qualquer tipo de piso em asfalto terá de ser evitado ou pelo menos limitado ao mínimo. Quando for impossível de evitar essas condições em uma ou duas áreas do percurso, as áreas deverão ser cobertas de relva, terra ou matagais.

d)       Com excepção das áreas de partida e chegada, o percurso não deverá conter outras recta longas. O mais aconselhável é um percurso “natural” e ondulado com curvas ligeiras e rectas curtas.

 

Emendar

5. O percurso

a)       O percurso terá de ser claramente marcado com fita de ambos os lados. É recomendado que ao longo de um dos lados do percurso, seja instalado um corredor de 1m de largura, bem vedado em relação ao exterior do percurso, para uso exclusivo dos Oficiais da Organização e dos representantes dos órgãos de comunicação social (obrigatório para Campeonatos).

As áreas cruciais deverão ser bem delimitadas, em particular a área de partida (incluindo a zona de aquecimento e Câmara de Chamada) e a zona de chegada (incluindo a zona mista). Nestas zonas só serão admitidas pessoas com acreditação.

b)       O público em geral só terá permissão de cruzar o percurso na parte inicial de cada prova em corredores de passagem bem definidos, sob o controlo de fiscais.

c)       É recomendável que, com excepção das áreas de partida e chegada, o percurso tenha uma largura de cinco metros, incluindo as zonas com obstáculos.

 

Eliminar antigo

ponto 4

4. É recomendável que os atletas sejam incluídos em categorias etárias (ver Regra 141).

 

 

Emendar ponto 6

6. A Partida

As corridas começarão (...) para as corridas longas.

Em provas internacionais, terão de ser dados avisos cinco minutos, três minutos e um minuto antes da partida.

 

Eliminar ponto 7 e renumerar pontos seguintes

Assistência:

7. Com excepção do previsto (...) no decorrer da corrida.

 

Substituir ponto 8 com novo ponto 10

10. Pontuação:

a)       No fim de uma corrida, os juizes (...) total de pontos será a vencedora.

b)       Ao determinar o número total de pontos de cada equipa, as posições finais dos corredores individuais poderão terão de ser eliminadas e, consequentemente, proceder-se-á a um ajustamento das posições finais. Quando o número de atletas for muito elevado, tal procedimento não é recomendado.

c)       No caso de empate, este (...) mais próximo do primeiro lugar.

 

Emendar

9. Locais de refrescamento e de abastecimento:

Água e outros abastecimentos apropriados (...) de todas as corridas.

Locais de refrescamento terão de ser providenciados em todas as corridas, em intervalos apropriados de aproximadamente 2-3 Km ou em cada volta, caso as condições atmosféricas o justifiquem.

260

 

RECORDES DO MUNDO

 

Emendar ponto 6 a)

a) Os recordes mundiais (...) conforme com a Regra 140. Uma pista de corrida ou de balanço deverá ter sido montada em terreno firme, sem a utilização de secções fendidas ou materiais semelhantes. terá de ser montada no cimo de uma fundação sólida.

 

Emendar ponto 11

As condições impostas para o reconhecimento de um recorde de uma competição de Provas Combinadas terão de ser cumpridas em cada uma das provas individuais, com excepção dos casos em que a velocidade do vento é medida, nos quais pelo menos uma das seguintes condições terá de ser satisfeita:

(i)       Em qualquer das provas individuais acima referidas, a velocidade do vento não poderá ultrapassar os 4 metros por segundo;

(ii)     A velocidade média (baseada na soma das velocidades do vento medidas em cada prova individual, dividida pelo número de tais provas), não poderá exceder 2 metros por segundo.

Nota: Excepto quando assinalada indicação em contrário, a generalidade das alterações              às Regras da IAAF, transcritas neste documento, entrarão em vigor a partir de 01.01.2002.

 

  Fonte: Site IAAF (www.iaaf.org)

Ficha técnica:

Edição

- Conselho de Arbitragem da FPA

  Linda-a-Velha, 14 Setembro 2001

Tradução

- Célia Mendes

- Samuel Lopes

Revisão

- Jorge Salcedo